sábado, março 02, 2013

Im going to hell, by Wagner Bezerra


Quando vi aqueles olhos de mar que suspiravam maresia e calor perante os montes desejados pelo mais inexperiente alpinista, pensei ter chegado ao limite de meus desejos. Dias, noites, horas e segundos em que acordava, um só pensamento martelava em minha mente e uma só resignação teimava em possuir meu corpo. Ela. O sol que queimava meu rosto, o vento que batia em seu corpo acalentando a alma ardente de paixão.
Na rua desassossego nº 35 numa casa aparentemente rebocada pela tinta branca feita de água e gesso, telhado de tempo antigo. O Jardim ressecado de tantas lágrimas. O sal que se formara naquele imenso habitat. O ar pesado abafado pelas sombras das nuvens que teimavam em esconder o sol e sua imensa perspectiva. O que nos restava além de ir encontro com o animal que habitava em nós?! As memórias perdidas num deserto sem paixão, a solidão. Talvez construir uma difícil jornada para que a luta entre nossa amada partida sob o horizonte do infinito, não seja nenhum segredo ou algo a esconder-temer. A superfície que emana a beleza de sermos o que não queremos, pode nos construir num império de desculpas. Por isso diante do sol e de minhas réstias, piso leve sob aquele que me guia, do lado de todo ouro, de todo espectro de beijo morno. Já que o tempo que levo pra chegar ao lugar esperado não tenha sentido algum.

Quero acreditar nos cuidados, nos grãos que se grudam aos meus pés, no vento que brinca e alisa sob meus cabelos. A maresia me chama adentro de um mar sem fim, não terei a coragem de mergulhar profundo. Prometi a mim mesmo navegar solitário in the sea. 
'Sinta-se livre pra sentir a vida renascer. A vida suspira na superfície de sua pele. Aproveite e inspire a party que brilha em seus olhos, porque o momento é este e só poderia te dizer uma coisa: Tudo aconteceu ontem, o futuro passou por nós, diante do pôr do sol que manchou sua roupa e vingou nosso vinho. Sussurrando a última lembrança de nosso verdadeiro e imaginário inimigo.'

2 comentários:

PERSEVERÂNÇA disse...

Quando olhamos uma imagem e ela nos inspira, podemos criar uma obra de arte, uma obra escrita tão intensa que quem ler poderá também flutuar no que o autor nos motiva.
Parabéns pelo texto.
Abraço fraterno
Nicinha

Wagner Pontes disse...

Olá Nicinha fico feliz que tenhas gostado. E concordo em partes com você sobre a criação a partir de umaimagem, pois acredite ou não, o texto surgiu bem antes da imagem.

Uma lembrança de um tempo que vivi me fez escrever num fluxo só todo o texto...
E também fiquei muito contente em ter achado uma imagem que expressasse tão bem como as palavras que usei na criação. ^_^

Abraço! ;)