quinta-feira, julho 17, 2008

Por onde começar?!

Chego a perguntar-me: O que é um ponto?!(idéia que surge do nada em minha cabeça...) engraçado, nunca nos deixamos levar pelo pensamento sem nexo ao mesmo tempo em que milhares de assuntos surgem numa absurda velocidade na qual os dedos, a mão, a caneta e o papel não conseguem acompanhar em um ritmo frenético compulsivo de expressar a magnitude do pensamento abstrato, talvez (isso, digo talvez, porque alguém provavelmente deve ter pensado nisto na vida ou até ter escrito ou não!...) já não seja novidade, não tente entender muito, porque palavras ás vezes são só palavras e não lhe dizem nada (bhá isso sim já foi dito alguma vez...) o que realmente lhe diz muito sobre você ou alguém, são as ações que fazem o mundo permanecer inquieto num estado de não movimento(repouso) gerando uma força não visível, movimentando corpos celestes no universo...(hahaha este papo filosófico barato é divertido demais...) chegamos a pensar que, o que acreditamos ou falamos é sempre o certo... (cansei) Pra tudo que queremos existe uma força nos impulsionando ou não (só pra rimar: Eis a questão?!) Pense comigo, um corpo só pode se mover se houver uma força que complete o movimento, seja ele qual for, certo?! Um corpo também pode permanecer em repouso se forças que o impedem de sair da estagnação, ou seja, forem hermeticamente iguais e agirem sobre o mesmo corpo, fazendo-o assim permanecer em equilíbrio, então: Qual seria a força impulssiva a fazermos e acreditarmos em coisas que jamais hesitaríamos em fazer?! (eu não tenho respostas e ainda preciso pensar novamente sobre o que formulei e joguei para vocês, porque sei que tem alguma coisa aí flutuando no espaço de meu pensameto...hehehe) até mais e abraço! ;D

2 comentários:

alê disse...

novo layout!! lindo! mas as letrinhas estao pequenininhas..tenho que por os oculos...pera...rs
bjo!

renata! disse...

Marcadores: filosofia

filosofia? física, física.
gostei do novo fundo, mas fundo preto me passa uma imagem meio deprê.
enfim, to lendo todos seus textos, depois de 2.000.000 de anos.

beijo, Wagner!